Das ondas  às manobras aéreas

Andar de skate é muito mais que praticar um esporte radical, é se incluir em um estilo de vida próprio, com características, costumes e estilo que só as pessoas deste mundo entendem.

Esse hábito que hoje conquista cada dia mais adeptos de todos os modos, nem sempre foi levado tão a sério, ou melhor, até hoje tem muita gente que não o leva a sério.

A prática de andar em uma prancha de madeira apoiada em quatro rodinhas dos patins, surgiu de uma brincadeira, nos anos 60 na Califórnia, quando alguns surfistas entediados por não terem ondas maneiras para surfar, resolveram inventar um modo de passar o tempo e praticar o surf.

Surgia aí o chamado sidewalk surfing, ou seja, o surf de calçada, que rapidamente conquistou os Estados Unidos.

Em 1963, o surf de calçada era praticado por tantos adolescentes diferentes, que já havia se criado uma identidade e características próprias, como manobras e jeito “certo” de andar, ganhando um nome definitivo: Skateboard.

Neste ano o mundo do skate daria seu maior salto e ganharia o mundo de vez, com a fabricação dos modelos de prancha reta fabricado pela Roller Derby e a Makaha, que logo mais começariam a lançar no mercado os skates com design mais moderninho.

Ainda em 1963, na cidade de Hermosa Beach, na Califórnia, foi realizado o primeiro campeonato da modalidade, vencido por Larry Stevenson. Durante os três anos seguintes foram vendidos mais de 50 milhões de skates em todo o mundo.

O skate nesta época, era totalmente ligado ao surf e influenciado por ele, a prática era quase uma extensão do surf, mas no asfalto.

Porém, durante uma grande seca na Califórnia, os skatistas descobriram que daria para fazer manobras maneira nas piscinas vazias, surgindo o skate vertical.

Em seguida, era inventada a rodinha de poliuterano – já que as rodinhas antes eram de ferro ou de um plástico duro, que escorregavam muito e causavam vários acidentes, pela falta de estabilidade, fazendo o mundo do skate dar um enorme passo a um esporte que seria característico da cultura popular.

Nos anos 80, a cultura do “faça você mesmo” fez com que surgissem várias rampas de madeira feitas pelo pessoal que queria praticar o esporte e não tinha lugar. Foi nesta época que o skate ganhou seus maiores nomes e manobras que conhecemos hoje como as manobras em corrimão, paredes e escadas, ganhando forte influência também da cultura de rua, como o Hip Hop e o Punk.

Nos anos 90 o skate ganhou o mundo, quando o norte-americano Tony Hawk começou a fazer suas manobras aéreas e flips – quando se bate o pé na madeira do skate e o chuta com o pé da frente em diagonal, para que o skate gire. Até hoje Tony Hawk é considerado um dos maiores skatistas de todos os tempos.

Depois disso, grandes eventos foram criados, como o X-Games, Dew Tour, Gavity Games, Tony Hawk Gigantesc Tour, Maloof Money Cup, todos com grande credibilidade, sendo transmitidos pelas principais TVs do mundo e com premiações milionárias.

Em 2002, Danny Way inventou a Mega Rampa durante um programa de Pay Per View na TV dos Estados Unidos, levando o skate vertical para um patamar nunca sonhado e visto antes no mundo.

Nos anos seguintes, a prática do skate só cresceu, e cada dia mais ganha o gosto de muitas pessoas como esporte. As competições começaram a ser cada dia mais acirradas, premiações melhores e com pessoas de cada vez mais peso e manobras estrondosas no currículo. Prova disso é o Street League Skateboarding, uma competição mundial criado pelo skatista profissional Rob Dyrdek, onde somente convidados podem participar da premiação milionária.

Atualmente, o skatista brasileiro de maior destaque é Sandro “Mineirinho” Dias, tetracampeão mundial de skate vertical (2003, 2004, 2005 e 2006).

JF Vôlei 2016: saia do sofá e venha torcer com a Eject

Cada dia mais o esporte tem se tornado especial e essencial na vida de todo mundo. Pode ser na correndo na esteira, dando uma caminhadinha no fim de semana, ou até mesmo praticando um esporte super radical como trilha de bike, escalada, rafit ou os que envolvem água como o surf. Seja qual for o esporte, o que importa é se movimentar e sair do sofá.

Mas se você não leva jeito para nenhum desses esportes e curte mesmo é ficar na arquibancada torcendo e colocando a voz pra fora no incentivo pro pessoal. Está na hora de deixar um horário vago na sua agenda de sábado agora, porque tem o primeiro jogo do JF Vôlei em 2016.

O jogo que será no ginásio da Faefid, na UFJF, e está marcado para as 18h, marca o retorno do time na competição. Você não vai ficar de fora, e assim como a Eject, você pode ir apoiar essa causa.

Mas não se preocupe se você está sem grana para ir, a Eject vai te dar uma ajuda. Basta participar da promoção que está rolando no nosso Facebook e no Instagran, marcar o amigo que vai com você e cruzar os dedos para que o sortudo seja você.